Uma casa sustentável construída em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, demorou apenas seis dias para ficar pronta e ainda gerou 25% de economia a seus idealizadores em comparação com um imóvel convencional.

O projeto foi criado pelo espanhol Eugen Fudulu e pelo brasileiro Kleber Karru, em parceria com o laboratório europeu Open MS. Toda a construção foi baseada em nanotecnologia, sem desperdiçar nenhum tipo de material utilizado e demandando a atuação de apenas quatro funcionários.

A partir do alicerce já pronto, o quarteto trabalhou menos de uma semana para deixar toda a casa em pé e prontinha para ser habitada. Tudo isso ainda com o título de “padrão europeu”. As paredes contam com isolamento térmico e acústico, com espuma e fios de vidro por dentro e por fora, capazes de manter uma temperatura agradável dentro de casa em qualquer época do ano.

Além disso, o material é resistente a fogo, água e até mesmo a cupins. E a estrutura ainda pode receber acabamentos em azulejo, látex, textura ou grafiato. Não bastasse, a casa sustentável ainda foca o reaproveitamento de água, ar e energia, bem como conta com teto solar. Fora isso, a estrutura ainda é capaz de resistir a tremores de até 9 graus na escala Richter e a ventos de até 300 km/h.

PARCERIA

Com a casa pronta, os idealizadores querem firmar uma parceria com o Governo do Estado de mato Grosso para que esse modelo de construção seja levado às áreas menos favorecidas, beneficiando famílias de baixa renda.

A ideia é que o projeto, além de resolver questões relacionadas à falta de moradia, ainda gere empregos. De acordo com um dos criadores da ideia, com equipes de trabalho divididas em funções, será possível construir até uma casa por dia!

Comente via Facebook 😉