Aos 20 anos de idade, o estudante Pedro Bezerra de Oliveira foi aprovado em Medicina na USP, Unesp, Unicamp e Unifesp. Depois de três anos de cursinho, órfão de pai e mãe e ex-aluno de escola pública, ele optou pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) para iniciar os estudos na Faculdade de Medicina e realizar seu grande sonho de ser médico.

Ele ingressou no cursinho pré-vestibular em 2015 e se deparou com conteúdos que até então nunca tinha estudado. Foi preciso correr atrás para compreender disciplinas como Física e Química.

Filho único, Pedro foi morar com a avó depois de perder a mãe, vítima de infarto, quando tinha 17 anos. O pai já havia falecido anos antes em um acidente.“Minha mãe era funcionária pública, por isso comecei a receber uma pensão do governo e pude pagar um cursinho. Na escola, eu não me esforçava muito, não tinha pretensão de ser o melhor aluno, não fazia os trabalhos, mas ia bem nas provas”, relembra.

Na escola, a maioria dos colegas de Pedro já trabalhava ou pensava em cursos técnicos ou programas como Prouni ou Fies, para fazer uma faculdade particular. Pedro já queria estudar na USP, mas inicialmente cogitava cursos como física. “Nunca achei que passaria em Medicina.”

No ano passado, se matriculou em um cursinho específico para Medicina e passou a estudar até 14 horas por dias, incluindo os finais de semana. As aulas começaram nesta segunda-feira (26). Por enquanto, para se bancar, ele pretende usar a pensão que será paga até o meio do ano, quando ele completa 21 anos. Depois, ele pretende ingressar em algum projeto de iniciação científica da universidade que lhe renda uma bolsa. A princípio, seu plano é se especializar em Pediatria. As informações são do G1.

Comente via Facebook 😉