A 4ª Mostra Tropé – Bonecos e Teatro de Rua começa nesta sexta-feira (8) em Itapira. A programação do evento reúne seis apresentações gratuitas em quatro diferentes locais e segue até domingo (10). A produção é da Cia. Talagadá – Teatro de Formas Animadas, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

A abertura será às 20h00, no auditório da Escola Estadual Elvira Santos de Oliveira, com ‘Translúcido’, da própria Talagadá. No sábado, às 10h00, a Praça Bernardino de Campos abriga o espetáculo ‘Bailado Para Sabiás, Vira-latas e Afins…’, da Cia. Corda e Corpo, de Itapira.

Mais tarde, às 17h30, será exibida a peça ‘Paulicéia Desvairada’, do Grupo Teatro Didático da Unesp (Universidade Estadual Paulista), de São Paulo, no Projeto Garagem – Arte e Cultura, situado à rua 7 de Setembro, na área central. Em razão da limitação de espaço, serão disponibilizados 30 ingressos gratuitos, que deverão ser retirados com antecedência.

O domingo concentra três apresentações. A primeira acontece às 15h00, na Praça Riachuelo, com ‘Ananse’, do Coletivo Colérico de São Paulo. Um pouco depois, às 17h30, o Grupo Teatro Didático da Unesp exibe novamente ‘Paulicéia Desvairada’, no Projeto Garagem. Também é necessário retirar os ingressos antes. O encerramento da Mostra Tropé acontece às 19h00, na Praça Riachuelo, com ‘Romeu e Julieta’, da Cia. Talagadá.

Ao final de cada apresentação haverá uma ação de formação, com bate-papo com o crítico teatral convidado Antônio do Vale. Ele fará a intermediação entre público e grupos, bem como desenvolverá um diálogo sobre a formação de grupos amadores no interior de São Paulo e pontos de vista acerca da peça exibida, processo de criação aplicado e entendimento e compreensão do público presente.

Vale é ator e diretor. Dirigiu mais de 50 espetáculos, ministrou cursos de teatro em Portugal e teve participação como coordenador e convidado nos festivais das cidades paulistas de São José do Rio Preto, Americana, Araçatuba, Presidente Prudente e Santos, além de Ponta Grossa-PR e Fortaleza-CE. É detentor de diversos prêmios teatrais, entre eles da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte), Prêmio Apetesp e Prêmio Governador.

  • HISTÓRICO

A Mostra Tropé surgiu em 2009, com idealização dos artistas Danilo Lopes, João Bozzi e Valner Cintra, da Cia. Talagadá. Eles tinham por objetivo a acessibilidade à arte e formação de público, despertando a apreciação e desenvolvendo o senso crítico para o teatro de rua. No ano seguinte, ainda sem a existência de políticas públicas locais que apoiassem o projeto, a iniciativa resistiu e foi realizada.

Porém, devido a diversas dificuldades enfrentadas, principalmente em relação à logística e inexistência da oferta de cachê aos convidados, o evento sofreu um hiato. Os progressos da Talagadá no cenário teatral nacional, com participação em importantes festivais nacionais e internacionais, contribuíram para a troca de experiências com outros grupos que compartilham do mesmo ideal, fazendo com que o projeto voltasse à mente dos idealizadores.

Depois do hiato de dois anos, a Mostra Tropé foi retomada e contemplada pelo Prêmio ProAC Edital 01/2013 – Festival de Artes, possibilitando a realização da 3ª Mostra Tropé, em 2014, e ampliando também as linguagens de circo e bonecos. Foram trazidos para Itapira 12 espetáculos teatrais (nacionais e internacionais), além de oficinas teatrais em quatro escolas do ensino médio. As dificuldades relacionadas à falta de incentivo novamente formaram um entrave, causando nova pausa no projeto que retorna agora, em 2018, através de parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e Unesp.

PROGRAMAÇÃO

  • Sexta-feira – 8 de junho

Horário: 20h00 – Local: Auditório da Escola Estadual Elvira Santos de Oliveira

Abertura da 4ª Mostra Tropé e apresentação do espetáculo ‘Translúcido’, da Cia. Talagadá – Teatro de Formas Animadas

Sinopse: Trata-se de uma provocação dramático-visual que se utiliza da plasticidade de materiais característicos por suas cores, texturas, opacidade, transparência ou translucidez na composição de um espetáculo que se inspira na linguagem do teatro visual, cujas investigações acerca da palavra translúcido, bem como suas derivações, servem como ponto de partida para abordar de forma lúdica e onírica a nossa própria realidade, em um universo transitório, que está além de nossa lucidez, cuja dramaturgia se constrói de forma única e individual aos olhos de cada espectador.

  • Sábado – 9 de junho

Horário: 10h00 – Local: Praça Bernardino de Campos

Cia. Corda e Corpo, com o espetáculo ‘Bailado para Sabiás, Vira-latas e Afins…’

Sinopse: O espetáculo é um processo que investiga a relação do corpo com os espaços urbanos, fomentando um diálogo entre os elementos da dança com o ambiente das cidades – suas ruas, praças e travessas, confrontando o delicado com o agressivo.

Horário: 17h30 – Local: Projeto Garagem – Arte e Cultura

Grupo Teatro Didático da Unesp, com o espetáculo ‘Paulicéia Desvairada’

Sinopse: O Teatro Didático da Unesp aproveitou-se da obra de Mário de Andrade para refletir e manusear alguns pressupostos do Teatro Visual por meio de uma criação cênica. A encenação do espetáculo não pretende ilustrar a obra. A encenação é uma criação autônoma cujo conteúdo refere-se meramente a apreensão do conteúdo de imagens intuídas do poema e sua época e que também são observadas no cotidiano da Paulicéia atual.

  • Domingo – 10 de junho

Horário: 15h00 – Local: Praça Riachuelo

Coletivo Colérico com o espetáculo ‘Ananse’

Sinopse: A primeira pesquisa profunda do Coletivo Colérico começou em 2016 a partir de provocações estéticas desencadeadas pelos livros ‘Mãe África’, de Celso Sisto, e ‘Histórias de Ananse’, de Adwoa Badoe e Baba Wagué Diakité onde deram origem ao espetáculo ‘Ananse’, a primeira reunindo contos de diversas localidades do continente africano e a segunda com contos relacionados à personagem Ananse, da cultura ashanti.

Horário: 17h30 – Local: Projeto Garagem – Arte e Cultura

Grupo Teatro Didático da Unesp com o espetáculo ‘Paulicéia Desvairada’

Horário: 19h00 – Local: Praça Riachuelo

Encerramento da Mostra Tropé e apresentação do espetáculo ‘Romeu e Julieta’, da Cia. Talagadá

Sinopse: Em meio ao lixo, tralhas e tudo mais que é descartado pela sociedade, cinco moradores de rua tentam subverter essa situação por meio do universo lúdico, no qual, suas figuras grotescas utilizam de objetos, instalações, assemblagens, música e performance para recontar, a seu modo, o clássico Romeu e Julieta de William Shakespeare, não só o amor impossível de seus famosos personagens, mas de todos e quaisquer amantes, os quais tiveram de enfrentar tanto a intolerância de suas famílias quanto o olhar de uma sociedade ainda calcada em valores obsoletos, de intolerância, hipocrisia, mediocridade e preconceito, cujos atos culminam em um final trágico, no qual a arte, por sua vez, vinga-se e o transforma em uma bela, doce e lúdica metáfora da busca pelo amor, liberdade, respeito e tolerância por que podem ser uma grande surpresa.

Comente via Facebook 😉